29 de jun de 2011

Plantas e Eletromagnetismo


Assim como respondem aos comprimentos de onda da música, as plantas são continuamente afetadas pelos comprimentos de onda do espectro eletromagnético, vindos da Terra, da Lua, dos planetas, do cosmo e de um sem-número de engenhos concebidos pelo homem; resta saber apenas com exatidão
quais os benéficos e quais os prejudiciais

'Uma tarde, por volta de 1730, um escritor e astrônomo francês, Jean-Jacques Dertous de Mairan, regava uma coleção de Mimosa pudica em sua sala de estar em Paris quando, para sua surpresa, notou que o desaparecimento do sol parecia fazer com que as folhas das plantas sensitivas se retraíssem tal como quando tocadas com a mão. Legítimo pesquisador, admirado por seu contemporâneo Voltaire, Mairan não se precipitou a concluir que as plantas, com a chegada da noite, estavam simplesmente "indo dormir". Em vez disso, esperou que o sol se erguesse de novo e colocou duas de suas plantas num armário escuro. As folhas dessas plantas - notou então - permaneciam normalmente abertas ao meio-dia; ao pôr-do-sol, no entanto, elas se retraíam com a mesma rapidez observada nas plantas que continuavam sobre a mesa da sala. Mairan concluiu que a dormideira ou malícia devia ser capaz de
"sentir" o sol, ainda que o não "visse".' 

(Fonte: http://br.groups.yahoo.com/group/piramidal)

Um comentário:

ArteVida disse...

Assim como as pessoas mais sensíveis à sua própria energia e a do ambiente ao redor, as plantas e principalmente as flores reagem ao ambiente que as cerca.
Experimente meditar ao alvorecer com duas rosas próximas a você. Coloque uma questão simples no ar e aguarde... No dia seguinte você verá pelo aspecto das flores, se viçosas ou murchas, a resposta a sua questão. As flores vão absorver o campo energético daquela questão e este será visível para você.